Hospital Fernando Fonseca Investe em obras e equipamentos

16-01-2017


 

O Hospital Fernando Fonseca (Amadora Sintra) vai investir este ano de 2017 mais de 6 milhões de euros em equipamentos e melhoria de espaços de atendimento ao doente.

Acabado de comemorar 21 anos, o hospital serve uma população a rondar os 600 mil habitantes e regista em média o acesso de 600/700 doentes nos seus Serviços de Urgência. Nos últimos dias 6 dias de 2016 um acesso às suas quatro urgências de mais de 4 500 doentes.

As obras maiores, a rondar os três (3) milhões de euros, prevêem uma grande intervenção a nível de infraestruturas e equipamentos do Bloco Operatório. O hospital propõe-se substituir mesas cirúrgicas e equipamentos de anestesia, além de prever uma intervenção ao nível de solo e revestimentos de tecto.

Mais de um milhão e meio (1,5) de euros será o investimento, no aumento de camas em unidades de cuidados intermédios de nível II, para dar resposta às necessidades dos doentes do Serviço de Urgência e Atividade Cirúrgica. O Hospital irá ainda, nesta dimensão técnica de melhoria, construir 4 quartos com pressão negativa, para aumentar a capacidade de internamento de doentes infetados (quartos de isolamento).

Visando uma forte melhoria da Gestão Integrada do Medicamento, os investimentos previstos serão na ordem dos dois (2) milhões de euros. Pretende o hospital criar condições para melhorar a segurança do doente e reduzir o erro no circuito do medicamento. Este investimento tem como principal benefício centralizar toda a informação crucial da actividade de Farmácia e circuito do medicamento, bem como dispor de mecanismos de controlo de gestão.

Finalmente, o hospital prevê ainda investir cerca de 900 mil euros na aquisição de um angiógrafo para remodelar a sua sala de Hemodinâmica. A aquisição deste equipamento decorre da necessidade de substituição do actual equipamento já com cerca de 20 anos de intensa actividade. Este equipamento para além de assegurar a prestação de cuidados no âmbito da cardiologia de intervenção e radiologia de intervenção, suporta ainda novas exigências decorrentes da entrada em funcionamento da VMER do Hospital desde Março de 2016, funciona 24 horas por dia e é, por vezes, solicitada a sua colaboração para outras unidades hospitalares da Região de Lisboa.