HFF na Comunidade



 

O voluntariado é um individuo que de forma livre, desinteressada e gratuita se compromete com as suas caraterísticas pessoais e valores, dedicando uma parte do seu tempo a realizar ações coordenadas de voluntariado no âmbito do Hospital.   

 

Formação

 

Ao voluntário será ministrada Formação adequada por forma a dotá-lo dos instrumentos e conhecimentos adequados a um bom desempenho. A sua atividade será objeto de um acompanhamento permanente, pela capelania e pelos profissionais do Serviço, por forma a sentir-se seguro e integrado no trabalho em equipa.

 

Contactos


Voluntariado (Serviço Religioso/Capelania)
E- mail: capelania@hff.min-saude.pt
Telefone: 21 434 82 00 (extensão 1145)

 

Processo de admissão e seleção

 

O candidato ao Voluntariado:

 

  • Deverá apresentar-se no Serviço Religioso (Capelania) de Terça a Sexta das 9h30 às 16h00 para uma entrevista de pré seleção que tem em conta a residência, disponibilidade e perfil para ser voluntário;.
  •  Após esta seleção o candidato preenche os impressos de candidatura e apresenta os documentos e fotos solicitadas;
  • O candidato é encaminhado para uma entrevista com a Psicóloga;
  • Sendo aprovado e com todo o processo organizado é convocado para iniciar o voluntariado e respetiva formação.

 

 

Caraterísticas do Voluntariado

 

O Voluntário deve, assim, possuir atributos próprios, tais como:

 

  • Disponibilidade de tempo;
  • Pontualidade;
  • Assiduidade;
  • Gosto pela tarefa que desempenhará;
  • Sentido de responsabilidade;
  • Respeito pelos outros;
  • Capacidade e vocação para ajudar, ouvindo pacientemente os problemas ou pedidos dos doentes/acompanhantes, ser recetivo, ser discreto na abordagem aos doentes e acompanhantes e deve manter o sigilo eticamente obrigatório.

 

Confiança dos doentes e do Hospital:

 

Para a promoção duma integral e absoluta confiança do Hospital no voluntário, este, deve ter por princípio:

 

  • Não procurar o acesso a processos clínicos ou diagnósticos dos doentes;
  • Não forçar conversas ou questionar sempre que o doente não quiser colaborar; 
  • Não forçar a realização de atividades se esse não for o desejo do doente;
  • Não se servir da posição de voluntário para qualquer tipo de regalias ou prestígios; 
  • Não dar presentes, dinheiro ou objetos aos doentes sem autorização;
  • Não mostrar preferência por qualquer doente; 
  • Respeitar os coordenadores profissionais em serviço e sempre trabalhando em equipa.

 

 

 

A Associação Fernandinhos  e Companhia é uma organização não governamental, de solidariedade social, sem fins lucrativos cujo objectivo especifico é a melhoria das condições de bem-estar das crianças e adolescentes nascidas e tratadas no Hospital Fernando Fonseca (HFF).

 

Objetivos da Associação

 

  • Promover a humanização nos cuidados prestados às crianças e adolescentes de uma forma abrangente e centrada na família;
  • Promover a colaboração do HFF com a comunidade e com as instituições de saúde na promoção do bem-estar da criança e na defesa dos seus direitos;
  • Promover e apoiar iniciativas dirigidas nomeadamente às crianças e adolescentes com deficiência ou doença crónica;
  • Fomentar estratégias de modo a que sejam melhoradas as condições das crianças e adolescentes;
  • Sensibilizar os órgãos de poder local e as autoridades de saúde para os problemas das crianças e adolescentes;
  • Estabelecer e manter relações com instituições nacionais e internacionais ligadas à criança.

 

 

 

O Voluntariado

 

O Voluntariado da Associação nos Departamentos da criança e da mulher participa no apoio à criança e família, à grávida e á puérpera, contribuindo para que a experiência de hospitalização seja mais positiva.

 

Objetos do voluntariado:

  • Colaboração no apoio à criança doente, bebé ou adolescente e á sua família, à grávida e puérperas , contribuindo para o seu bem estar;
  • Articulação com equipa multidisciplinar de saúde, nomeadamente equipa de enfermagem;
  • Exercer as funções que melhor se adaptem às suas competências.

 A acção de Voluntariado desenvolve-se na Unidade de Neonatologia, junto de recém-nascidos ou bebés internados, na Enfermaria de Pediatria e na Urgência de Pediatria, com crianças de todas as idades e adolescentes. Na Enfermaria de Obstetrícia e consulta de Obstetrícia a atividade centra-se principalmente junto das puérperas e recém-nascidos.

 

Podem ser associados todos os que apoiam, sob o ponto de vista social e financeiro as crianças e adolescentes desta área, nomeadamente:

  • Pais de crianças nascidas e tratadas no Hospital Fernando Fonseca;
  • Profissionais do HFF e de outras instituições de saúde;
  • Todas as pessoas singulares ou coletivas que, de alguma forma, contribuam ou se proponham contribuir param o bem-estar das crianças e adolescentes portugueses

 

Apoie a Associação!

 

A criação da Casa do Pessoal do Hospital Fernando Fonseca, EPE, resultou da necessidade sentida pelos colaboradores em ter uma estrutura vocacionada para a organização de atividades de caráter cultural e desportivo, promotoras da saúde e bem-estar dos diferentes profissionais.

Esta nova organização tem como objetivos, a promoção de eventos desportivos e culturais tentando, o mais possível, aproximar os profissionais do hospital à comunidade, estabelecendo uma relação profícua com as populações residentes na área da nossa influência de atuação (concelhos de Amadora e Sintra).

Dentro das atividades programadas e no que respeita à prática desportiva, pretendemos ter como base as ações de "team building" que possam incentivar o espírito de grupo, através de jogos de futebol, futsal, karting, passeios pedestres, paintball, canoagem, ciclo turismo, etc. Na área recreativa pretende-se reactivar o rally paper, realizar jantares temáticos e promover viagens culturais.

Deste modo, e para dar resposta a este aliciante desafio, já contamos com a colaboração e empenho de vários profissionais das diversas áreas transversais a toda a instituição hospitalar.

 

Contactos:

91 519 40 18                                                            

casa.pessoal@hff.min-saude.pt                                                                        

 

ASSOCIAÇÃO DE AMIGOS E UTENTES DO HOSPITAL AMADORA - SINTRA

 

Objetivos

 

  • Incentivar, promover e/ou apoiar a realização de estudos, encontros, debates na área da saúde;
  • Colaborar na articulação entre o Hospital Fernando Fonseca e a comunidade, as autarquias e instituições/serviços locais de saúde e de apoio social, por forma a dar resposta aos problemas e necessidades identificadas;
  • Promover e apoiar atividades de carácter sócio-cultural para os utentes  e  profissionais do Hospital Fernando Fonseca contribuindo para o bem estar de todos,
  • A Associação respeitará e não fará qualquer ingerência no exercício da actividade dos profissionais na área da Saúde;
  • Ser um parceiro interlocutor das necessidades da população,
  • Participar e colaborar na vida do Hospital Fernando Fonseca, como órgão consultivo, mediante a apresentação, à Administração, de sugestões, propostas e acções que contribuam para a resolução dos problemas concretos da população alvo.

 

 

Localização da AMASIN:

 

O Gabinete desta Associação está situado no átrio principal do Hospital, onde podemos ser contactados para inscrições de sócios ou outro assunto e ainda para a entrega de tampas.

Contacto telefónico: 915124488 - Sra. Dona Júlia Tavares 

 

Dias de Atendimento Local:

 

2ªs feiras das 14h às 17h

4ªs e 5ªs feiras

das 11h00 às 16h30

 

Consulte folheto informativo e saiba quais as actividades que estão a decorrer na Amansin:

 

Ao Gabinete de Relações com a Comunidade (GRC) compete o acompanhamento e avaliação dos projetos comuns do HFF e instituições da sociedade civil, com vista à promoção e desenvolvimento da Rede Social dos Concelhos da Amadora e de Sintra.

  • A Rede Social é uma plataforma de articulação de diferentes parceiros públicos e privados. Esta plataforma assenta no trabalho de parceria alargada, e visa o planeamento estratégico da intervenção social local, que articula a intervenção dos diferentes agentes locais para o desenvolvimento social (Decreto-Lei nº 115/2006, de 14 de Junho);

  •  Ao GRC compete ainda o apoio a projetos desenvolvidos diretamente por outros serviços do HFF, desde que na sua área de atuação.

 

Compete, em especial, ao GRC:

 

    • Garantir a existência e desenvolvimento de uma politica institucional concertada e coerente de ligação e funcionamento integrado na área de intervenção social do HFF;
  •  
    • Garantir a criação de um ambiente de cooperação e de uma cultura integradora das intervenções funcionais dos diversos actores, públicos ou privados, na área social;
  •  
    • Integrar o CLAS - Conselho Local de Acção Social das autarquias da Amadora e de Sintra, órgãos presididos pelas respetivas autarquias; e integra a Comissão Social de Freguesia da Venteira (freguesia onde está sediado);
  •  
    • Assegurar a gestão dos projetos cuja responsabilidade pela execução compita ao HFF, velando pela sua auto sustentabilidade financeira, correção técnica e consecução dos respetivos objetivos;
  •  
    • Criar, desenvolver e manter instrumentos de trabalho e avaliação dos projetos comuns desenvolvidos;
  •  
    • Gerir os pedidos das organizações sem fins lucrativos para a realização de campanhas de angariação de fundos no HFF;
  •  
    • Articular a atividade desenvolvida pelo GRC com o Serviço Social e o Gabinete de Comunicação do HFF.

 

 

Nesta sequência o HFF participa em iniciativas conjuntas, que envolvem diferentes parceiros da comunidade, nomeadamente no âmbito da Violência Doméstica participa nas Redes:

 

RIIVA - Rede Integrada Intervenção Violência na Amadora;

RIVS - Rede Intervenção Violência em Sintra.

 

No Concelho da Amadora a RIIVA integra o Plano Municipal Contra a Violência - RIIVA

No Concelho de Sintra a RIVS - Rede de Intervenção na área da Violência em Sintra, está organizada em duas Comissões / Grupos de Trabalho, nas quais participam profissionais do HFF, entre outros parceiros da comunidade:

 

- Comissão Restrita de Discussão de Casos na área da Violência Doméstica;

- Comissão Restrita de Discussão de Casos na área da Violência sobre Pessoas Idosas.